Bíblia na rede

As camisas


O esquema tático 2-3-5 foi o primeiro do futebol organizado e dominou os jogos na Europa até o início do século 20. No Brasil, ainda se jogava com dois homens na defesa, três no meio de campo e cinco no ataque até a década de cinquenta e o Flamengo foi campeão carioca em 1954 usando jogando assim. O primeiro registro desse esquema é do campeão da Copa Gaulesa de 1877, o Wrexham. Originalmente chamado de pirâmide, o 2-3-5 floresceu na Universidade de Cambridge, se tornou obrigatório no futebol Inglês e se espalhou pelo mundo.

Durante aqueles anos, o 2-3-5 era tão unânime que os jogadores eram lembrados apenas por sua posição. Em agosto de 1928, Arsenal e Chelsea usaram camisas com números em seus jogos contra o Sheffield Wednesday e o Swansea Town, respectivamente. Apesar de clubes haverem usado números nas camisas antes, esse é o registro mais antigo desse uso na Liga de Futebol. Foi o esquema 2-3-5 que definiu os números: o goleiro ficou com o 1, os zagueiros com o 2 e o 3, os meias ficaram com 4 a 6 e os atacantes com 7 a 11.

Depois de definir as diretrizes para o Movimento Joga Limpo Brasil os pastores José Bernardo e Marcos Grava decidiram criar uma iniciativa para desenvolver recursos estratégicos e operacionais para a Evangelização no Contexto do Esporte. Essa Iniciativa recebeu o nome de 2-3-5 para lembrar a Igreja da necessidade de retomar seu foco nos resultados. Como no futebol, conforme a igreja amadureceu, começou a ‘jogar’ cada vez mais na defesa, trabalhando mais para evitar perder do que para ganhar.

E não foi só o nome que a Iniciativa 2-3-5 emprestou do futebol. Analisando as qualidades do esquema e perguntando que capacidades evangelísticas poderiam ocupar aquelas posições de defesa, meio de campo e ataque, criamos uma composição que pode dar boa cobertura no campo de atuação de uma igreja e possibilitar melhores resultados.

Prepare a sua seleção
O propósito da Iniciativa 2-3-5 é suprir as igrejas evangélicas brasileiras com recursos para a evangelização no contexto do esporte. Para cumprir esse propósito organizamos o Bíblia na rede com dezenas de recursos que as igrejas podem utilizar para compor sua estratégia de evangelização.

Goleiro
01. Liderança
;
Um bom programa evangelístico normalmente inicia com a liderança. Os líderes também devem estar preparados para receber 'a bola' de volta ou para defender seu time quando o adversário chuta a gol. Sob a camisa 1 estão aqueles recursos desenvolvidos especialmente para ajudar a liderança em seu trabalho.

Defesa
02. Oração
03. Gestão;
A defesa deve estar sempre preparada para o ataque do adversário. Duas áreas importantes aqui são a intercessão e a organização. Na camisa 2 estão as estratégias para envolver os diversos grupos da igreja em oração. Na camisa 3 há recursos para organizar e administrar a evangelização.

Meio de campo
04. Adolescentes
05. Eventos06. Crianças
O meio de campo faz a ligação entre a defesa e o ataque. Aqui estão recursos estratégicos que ajudam a iniciar um ataque e que também servem para retardar o adversário, dando tempo para a defesa se preparar. De um modo geral a evangelização e a mobilização de adolescentes e crianças tem essas características. São velozes e dinâmicos como alas na evangelização, mas dependem do apoio da defesa ou do ataque.  Já o meio de campo, a camisa 5 contém os recursos mais flexíveis, elementos que podem ser utilizados para compor qualquer tipo de evento para atender às mais diversas necessidades.

Ataque
07. Multimídia
08. Capelania09. Ev. pessoal10. Aglomerações11. Internet
A maior parte dos recursos, porém, devem estar concentrados na frente, ganhando vidas. Afinal, a melhor defesa é o ataque. Nas laterais, camisas 7 e 11 estão os recursos de multimídia e de Internet, eles são ótimos para criar oportunidades de chute a gol. Os laterais internos, mais próximos da finalização, são a Capelania e a evangelização em grandes ajuntamentos de pessoas. Os recursos de abordagem direta, que finalizam as melhores jogadas são os de evangelização pessoal, nosso centro-avante.